Educação

Prefeitura da Vitória de Santo Antão

A cidade se destaca por possuir grande tradição em educação. Possui um campi da Ufpe e duas faculdades privadas, alem de várias escolas, públicas e privadas consideradas com boa qualidade de ensino fundamental e médio, destacando-se entre elas o campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco – IFPE, antiga Escola Agrotécnica Federal, que forma profissionais das regiões da mata e agreste em cursos de Agropecuária e Agroindustrialização de alimentos.

Ensino superior público – O campus da UFPE, chamado de Centro Acadêmico de Vitória, iniciou suas atividades no município em agosto de 2006. Oferece à comunidade seis opções de cursos de graduação: Licenciatura em Ciências Biológicas; Licenciatura em Educação Física; Bacharelado em Educação Física – Bacharelado em Enfermagem; Bacharelado em Nutrição e Bacharelado e Saúde Coletiva.

No ano de 2009 foi criado o 1º curso de pós-graduação Strictu Sensu (mestrado), na área de Saúde Humana e Meio Ambiente. No ano de 2010 foi iniciada a Primeira Turma do Programa de Residência Multiprofissional de Interiorização de Atenção à Saúde, aprovada pelo Ministério da saúde e educação, sendo uma especialização Latu Sensu (residência), na área de saúde pública.

Ensino superior privado – Atualmente existem duas faculdade privadas, Faculdade Escritor Osman da Costa Lins, (FACOL), e Faculdades Integradas da Vitória de Santo Antão (FAINTVISA), ambas com vários cursos de graduação e pós-graduação.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) – Em 2001, de acordo com as reformas da educação profissional, a Instituição passou a oferecer o ensino médio desvinculado do ensino profissional, sendo este organizado no sistema modularizado. Passaram a ser oferecidas, então, quatro habilitações técnicas: Agropecuária, Agroindústria, Agricultura e Zootecnia, na modalidade de concomitância interna, externa ou subsequente. Neste mesmo ano, a EAFVSA, através de Portaria, regulamentou a criação da Seção de Cursos Técnicos Especiais – SCTE, e, a partir de então, passou a oferecer cursos básicos de curta duração, visando à qualificação e requalificação de trabalhadores para atuarem nos diversos setores produtivos.

Em maio de 2004, por força do Decreto nº 4.877, de 13 de novembro de 2003, que regulamenta o processo de escolha dos diretores gerais das IFEs, a Instituição elegeu, com a participação de todos os segmentos da comunidade escolar, a sua Direção Geral, iniciando assim uma novo modelo de gestão e administração. Ainda em 2004, a SEMTEC passa a ser denominada Secretaria da Educação Profissional e Tecnológica – SETEC, encarregada de implementar as políticas de educação profissional no país, desvinculando a educação profissional do ensino médio. Com a nova estrutura, a definição das políticas do ensino médio passou a ser competência da Secretaria do Educação Básica – SEB. Essa mudança provocou alterações na estrutura da EAFVSA.

Em 2005, a Instituição voltou a oferecer cursos no sistema de currículo integrado: Curso Técnico em Agropecuária e Curso Técnico em Agroindústria, mantendo a modularização apenas no nível subsequente (cursos voltados para quem já concluiu o Ensino Médio), com as habilitações técnicas em Agricultura, Zootecnia e Agroindústria.Em 2008, foi instituída a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, da qual faz parte o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, constituído por nove campi . A Escola Agrotécnica Federal de Vitória de Santo Antão passou a denominar-se, então, Campus Vitória de Santo Antão do Instituto Federal de Pernambuco.

Fonte: Wikipédia